Intervenção: A África no contexto das Grandes Navegações (2º E)

Atividade desenvolvida pelo bolsista José Alves de Oliveira Junior, graduando em história pelo IFG.

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID)

Material de apoio pedagógico: A África no contexto das Grandes Navegações

Através do contorno ao litoral africano no século XVI, com intuito de alcançar as índias, Portugal estabelece relações, econômicas, políticas, culturais com alguns reinos da África. O reino do Congo foi um reino que se destacou no contexto das grandes navegações, por causa do seu poderio econômico, junto ao seu sistema político centralizado que pode ser comparado as organizações políticas dos Estados Modernos europeus.

O Reino do Congo

Durante seu processo de expansão marítimo-comercial, os portugueses abriram contato com as várias culturas que já se mostravam consolidadas pelo litoral e outras partes do interior do continente africano. Em 1483, momento em que o navegador lusitano Diogo Cão alcançou a foz do rio Zaire, foi encontrado um governo monárquico fortemente Estrutura, conhecido como Congo. Fundado por volta do século XIII e XIV, esse Estado centralizado dominava a parcela centro-ocidental da África. Nessa região se encontrava um amplo número de províncias onde vários grupos da etnia banto, principalmente os bakongo, ocupavam os territórios. Apesar da feição centralizada, o reino do Congo contava com a presença de administradores locais provenientes de antigas famílias ou escolhidos pela própria autoridade monárquica. Apesar da existência destas subdivisões na configuração política do Congo, o rei, conhecido como manicongo, tinha o direito de receber o tributo proveniente de cada uma das províncias dominadas.

362px-Jean_Roy_de_Congo

Nzinga-a-Nkuwu, primeiro manicongo a converter-se ao Cristianismo 1509. Foi batizado como João I do Kongo. (Gravura de Pierre Duflos, 1742 – 1816)

A principal cidade do reino era Mbanza, onde aconteciam as mais importantes decisões políticas de todo o reinado. Foi nesse mesmo local onde os portugueses entraram em contato com essa diversificada civilização africana. A principal atividade econômica dos congoleses envolvia a prática de um desenvolvido comércio onde predominava a compra e venda de sal, metais, tecidos e produtos de origem animal. A prática comercial poderia ser feita através do escambo (trocas) ou com a adoção do nzimbu, uma espécie de concha somente encontrada na região de Luanda. O contato dos portugueses com as autoridades políticas deste reino teve grande importância na articulação do tráfico de escravos. Uma expressiva parte dos escravos que trabalharam na exploração aurífera do século XVII, principalmente em Minas Gerais, era proveniente da região do Congo e de Angola. O intercâmbio cultural com os europeus acabou trazendo novas práticas que fortaleceram a autoridade monárquica no Congo.

Por Rainer Sousa
Mestre em História

http://www.mundoeducacao.com.br/historiageral/o-reino-congo.htm

Após a leitura do texto, observe os mapas da África, percebendo a diversidade cultural no continente Africano, identificando o Reino do Congo, como um dos vários reinos do continente que se distinguem por suas formas de organização econômica, política, cultural e social.

divisao_regional_da_africa  Divisão Regional da África

Mapas Imperiales Imperio del Congo 1395-1885 d.c. Reino do Congo, localizado na África Central

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s